Melasma afeta a sua autoestima? Veja como tratar!

O Melasma é um problema de pele muito comum que afeta negativamente a autoestima de muitos brasileiros, especialmente as mulheres, mas poucos conhecem essa condição.

Infelizmente esse não é um tema muito discutido no Brasil.

Essa desinformação acaba prejudicando ainda mais a vida dos que já sofrem com o Melasma.

Entender todos os aspectos dessa condição – causas, cuidados, sintomas e tratamento – é crucial para que as pessoas possam se livrar dela.

Mas buscar informações na internet nem sempre é uma tarefa fácil.

Além das fake news que acabam nos confundindo, muitos artigos optam por uma linguagem mais acadêmica, o que acaba dificultando o entendimento da população em geral.

Se você sofre com o Melasma e quer entender todos os aspectos dessa condição, está no artigo certo!

Hoje nós vamos te ensinar o que causa o Melasma, quais cuidados você deve ter, quais são seus sintomas e qual é o melhor tratamento disponível.

Caso tenha se interessado, é só continuar a leitura para conferir tudo isso!

O que causa o Melasma?

O Melasma – ou cloasma – nada mais é do que uma condição que causa manchas escuras e descoloridas na pele (geralmente da face, mas também pode ocorrer em áreas como pescoço, braços e colo).

Embora não se saiba ainda qual é sua real causa, ao que tudo indica o Melasma está associado a fatores hormonais e à exposição solar sem proteção, além da predisposição genética.

É muito mais comum entre as mulheres porque essas acabam experienciando muitas alterações hormonais durante a vida.

Também conhecida como “máscara da gravidez”, essa condição acaba sendo muito recorrente em mulheres grávidas porque durante o período gestacional a produção de hormônios como a progesterona acaba estimulando a hiperpigmentação da pele.

As mulheres que fazem o uso de anticoncepcionais ou que possuem um DIU mirena também costumam relatar o aparecimento de manchas na pele.

Isso se dá por conta do estímulo hormonal.

Naturalmente, por estar relacionada a fatores hormonais, essa condição é mais comum entre mulheres em fase reprodutiva (entre 20 e 50 anos) e raramente se manifesta antes da puberdade.

A menopausa costuma diminuir a recorrência de Melasmas graças ao declínio natural dos hormônios reprodutivos característico dessa etapa da vida das mulheres.

Mas como citamos anteriormente, a exposição à luz solar sem proteção também pode estimular a hiperpigmentação da pele.

Essa exposição acaba estimulando a produção dos melanócitos (células responsáveis pela produção de melanina) e, consequentemente, o surgimento de manchas na pele – o Melasma.

Melasma tem cura?

Felizmente, para algumas mulheres, o Melasma desaparece por conta própria. Isso normalmente ocorre quando é causado por gravidez ou pelo uso de pílulas anticoncepcionais.

Mas outros casos podem precisar de tratamentos à base de cremes clareadores para serem tratados.

É importante ter em mente que esses cremes não garantem que o melasma não volte, por isso o uso recorrente pode ser necessário.

Além disso, nem todos os casos de melasma podem ser completamente clareados. Isso depende de muitos fatores, principalmente do tempo.

Sendo assim, se você identificar o surgimento de alguma mancha no rosto ou em alguma outra área do corpo, não demore para procurar ajuda.

Quanto mais cedo você iniciar um tratamento contra o Melasma, mais fácil será se livrar dele.

Sintomas de Melasma

Basicamente, o Melasma causa manchas de descoloração. Essas manchas são mais escuras do que a cor natural da pele.

Geralmente ocorre na face e é simétrico, com marcas correspondentes em ambos os lados da face.

Outras áreas do corpo que costumam ficar expostas ao sol também podem desenvolver Melasma. A descoloração da pele não causa nenhum dano ou desconforto físico.

A hiperpigmentação característica do Melasma é mais comum nas bochechas, testa, ponte do nariz e no queixo.

Diagnóstico

Um exame visual da área afetada costuma ser suficiente para diagnosticar o Melasma. Para descartar causas específicas, seu profissional de saúde também pode optar por realizar alguns testes.

Uma técnica de teste é o exame da lâmpada de Wood. Este é um tipo especial de luz que permite que seu profissional de saúde verifique se há infecções bacterianas e fúngicas e determine quantas camadas da pele o Melasma afeta.

Para verificar se há problemas de pele graves, ele também pode realizar uma biópsia. Isso envolve a remoção de um pequeno pedaço da pele afetada para teste.

Cuidados com o Melasma

Imagem: Pexels/Shiny Diamond

Melhor do que remediar é prevenir, não é mesmo? E embora nem sempre seja possível evitar o surgimento dessa condição, como em casos de gravidez, por exemplo, alguns cuidados podem impedir o agravamento dos sintomas e prevenir a hiperpigmentação

Por isso separamos os cuidados que você deve ter se deseja evitar o agravamento do seu Melasma ou se não sofre com a condição, mas quer preveni-la. Confira:

  • Passe protetor solar com fator de proteção (FPS) superior a 30 todos os dias.

“Preciso passar até pra ficar em casa?” Sim! A luz do celular, da TV e da tela do computador, por exemplo, também estimula a hiperpigmentação da pele.

  • Evite o sol do meio-dia.

Ainda que você passe protetor solar, os raios solares durante esse período do dia ainda podem ser muito prejudiciais à saúde da sua pele.

  • Cuidado com medicamentos que podem estimular a hiperpigmentação.

Principalmente se você já possui uma predisposição genética, sempre leia a bula dos medicamentos para evitar efeitos colaterais que podem desencadear o surgimento de Melasmas.

Qual é a melhor pomada para tratar Melasma?

Existem diversos tratamentos para Melasma disponíveis, mas infelizmente a grande maioria deles conta com efeitos colaterais incômodos e desagradáveis.

Por exemplo, um medicamento muito prescrito são os esteroides tópicos, que agem clareando a área afetada, mas também podem causar afinamento da pele, estrias e a dilatação dos vasos sanguíneos.

Outra alternativa é o peeling químico, que costuma requerer um auxílio anestésico por se tratar de um procedimento bastante incômodo.

O Melasma por si só já é uma condição bastante desagradável, o seu tratamento não precisa ser também. Você concorda com a gente?

Felizmente existe uma outra alternativa para aqueles que sofrem com o Melasma mas não querem se submeter a tratamentos dolorido e com possíveis efeitos colaterais super prejudiciais.

Reprodução/Farmácia Eficácia

O Creme clareador de pele da Farmácia Eficácia não só clareia e uniformiza a pele, tratando o Melasma, como também o previne.

Sua base é o ácido tranexâmico, um dos mais eficazes no tratamento de manchas escuras na pele causadas pelo excesso de melanina.

Além de contar com um ótimo custo-benefício, o Creme clareador de pele da Farmácia Eficácia ainda possui uma aplicação super rápida e prática.

Basta aplicar o produto duas vezes ao dia junto de um protetor solar na área a ser tratada.

A baixa autoestima e a vergonha causada pelo Melasma não precisa fazer parte da sua vida.

Não perca mais tempo e comece hoje mesmo o tratamento com o Creme clareador de pele da Farmácia Eficácia. Experimente e comprove sua eficácia!

 

Lembre-se: quanto mais cedo você iniciar o tratamento, mais cedo se livrará do Melasma.

 

Escreva um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.